Atualidade

O Peregrino que fascina as gentes de Palmela… com uma história de vida que dá que pensar!

Chama-se Enrique Balsera e é um peregrino que poderia ser igual a tantos outros, mas este espanhol de Córdoba, Espanha, é especial, ao ser acompanhado por um burro de seu nome Espíritu Santo Y Amém que anseia chegar com o seu fiel amigo a Roma.

Os caminhos são duros, mas não demovem Enrique Balsera da sua promessa, um espanhol de Córdoba com uma história de vida que comove as comunidades por onde passa. 

Enrique Balsera chegou na passada quinta-feira a Palmela, onde arrancaram as atividades religiosas no âmbito da Jornada Mundial da Juventude 2023 e que terminam hoje em Lisboa com a presença do Papa Francisco.

O espanhol que traz consigo um chapéu de Santiago de Compostela, é um homem de fé, não só por ser, mas também porque tem uma história que conta a poucos, mas que faz pensar a quem ele conta.  Enrique Balsera transporta consigo um carrinho de bebé, onde traz os alimentos para o seu dia a dia e há três anos, numa passagem por uma localidade, houve uma pessoa que lhe ofertou um burro [que já conta com 8 anos], esta oferta foi porque o peregrino que caminhava sozinho, ao passar pela localidade, que não diz qual seria, um popular teve pena e ofereceu-lhe o burrito que foi logo batizado de Espíritu Santo, também ele com o seu chapéu de Santiago de Compostela, vai caminhado atrás do seu dono, e quando Enrique se afasta, o Espíritu Santo parece um cão à procura do seu fiel dono.

Enrique diz que não quer ser famoso, ao ser um comum ser mortal que anda a percorrer estradas, ruas e trilhos em prol da sua fé, daquela fé que o fez prometer ser um peregrino para a vida.

Homem algo tímido mas também muito crente, contou ao Jornal de Palmela, que já se encontra nesta vida há seis anos, isto porque tem uma história que encanta, ouvimos este peregrino de poucas falas, mas de sabedoria de vida, deixa-nos a pensar o que andamos todos a fazer.

Pedimos para tirarmos uma fotografia com o seu burrito, o Espíritu Santo Y Amén, inicialmente não queria, mas dizendo sermos simpáticos, lá cedeu, fomos abordando o tema da sua fé e da sua peregrinação e aqui deixa-nos de lágrimas a bailar nos olhos.

Enrique Balsera já foi um homem ligado ao desporto automóvel, piloto de Lamborghini, mas um grave acidente o deixou agarrado a uma cama, paraplégico durante um ano, não baixando braços, Enrique prometeu que se voltasse a andar que se entregava a Deus, e de uma forma quase de sacrifício, mas um sacrifício que o deixa feliz, fazer do seu modo de vida a peregrinação.

Já fez vários caminhos e peregrinações, como os caminhos de Santiago de Compostela, os de Fátima e agora o seu objetivo é chegar a Roma, claro, sempre na companhia do seu amigo, que não o deixa esquecer-se dele, enquanto falávamos com Enrique, o Espíritu Santo Y Amén zurrava, uma forma de dizer “estou aqui” e” não te esqueças de mim”. O burrito é um amor, todos lhe fazem festas e ele para agradecer, abana a cabeça que dá para ouvirmos um pequeno sino que traz consigo, também anda a rigor, com um chapéu de peregrino e com a Cruz de Santiago.

Quando o questionamos se algum dia montou o Espíritu Santo Y Amén, disse-nos com os olhos focados na homilia, não, nunca faria isso ao meu amigo de grandes caminhadas. 

Para além de trazer consigo um tipo de cajado com a típica cabaça que Santiago também transportava no seu cajado, Enrique transporta consigo um carrinho de bebé com produtos alimentares, não transporta muitos, pois diz, que não quer desperdiçar comida, sempre preocupado com o seu fiel amigo, pois para esse, sim, tem que haver sempre alimento. As noites são passadas a descansar perto das igrejas das localidades por onde passa, diz que ali está protegido, ele e o seu burrito, pois ali é que se sente bem e ainda consegue ver as estrelas e o céu.

Enrique está pronto para fazer mais uns quilómetros até onde Deus o levar, e tem um gesto de grande relevo, pois quando passa uma ambulância ou mesmo um carro com alguém que se meta com ele e de boa-fé, Enrique para a sua caminhada e faz uma vénia, sinal de respeito para com o próximo.

Por fim, diz-nos que tem família e que é natural de Córdoba, em tom de graça diz que o Espíritu Santo Y Amén não é o burro naquela história de fé, mas sim ele, que decidiu fazer da sua vida uma vida de peregrinação, mas que faz o que gosta e no que se sente bem.

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo